Minha trajetória headbanger e o que aprendi com ela

4년 전
in pt

A primeira banda pesada a gente nunca esquece. A minha primeira foi o melhor thrash logo de cara: Slayer. Um colega de classe me emprestou o CD do South of Heaven e eu nunca, jamais, em hipótese alguma vou esquecer da minha própria reação quando ouvi aquela obra prima. Tanto que até hoje é a minha banda preferida, e sou esposa do Tom Araya nos meus sonhos. Rs.

download (1).jpg

IMG_20180406_191846.jpg
amor maior

Era uma época sem mp3. Eu morava numa cidade onde não tinha rádio rock. No auge da minha riqueza eu tive um discman e achava o máximo. Puta trambolho. Então eu ia ouvindo o que chegava até mim através dos amigos: Whitesnake, Van Halen, Metallica, Black Sabbath, Rage Against the Machine, Deftones... que eram sons mais "comerciais". Daí veio a era MTV, que coincidiu com uma fase mais punk rock e hard core na minha vida: Bad Religion, Pennywise, Millencolin, Offspring, Ramones, Agnostic Front, Suicidal Tendencies, Rancid, etc. Também nessa época tive um caso de amor com o Sepultura. Aí eu comecei a namorar um metaleiro que tinha uma estante cheeeeeeia de CDs de todos os tipos. Mas apesar de eclético dentro do universo do rock, ele foi minha maior influência de death metal. Carcass, Napalm Death, Cannibal Corpse, Brujeria, Kataklysm, Bloodbath, Morbid Angel, etc.

20171215_133450.jpg

E claro que tiveram mais milhares de outros sons fodíssimos que ouvi e também vários shows perfeitos que assisti, como: Slayer, Sepultura, Ozzy, Ratos de Porão, Killswitch Engage, Korn, Slipknot, Hatebreed, Biohazard, DRI, Brujeria, Napalm, Cannibal... e outros que não lembro mais e outros que com certeza ainda vou ver antes de morrer. Hahaha.

O que eu aprendi

Nesses 20 anos de metal na cabeça aprendi sobre como as pessoas aparentemente mais loucas são na verdade as mais sãs. Porque ouvir/tocar metal, bater cabeça, entrar na roda, dar mosh... são formas inofensivas de catarse para nossos sentimentos mais obscuros. Metal faz bem. Existem até estudos que confirmam isso, como esse que a wikimetal publicou há uns meses: http://www.wikimetal.com.br/novo-estudo-afirma-que-metal-e-benefico-para-cerebro-humano/

images.png

ghgh.png
cena mais linda de se ver

Aprendi ainda que o underground (de onde se originam e onde vivem praticamente todas as bandas extremas) é muito mais que uma cena, é uma essência que se manifesta em todos os campos da nossa vida. E ela é tão singular e especial que ao longo da vida encontramos poucas pessoas que têm essa mesma essência. Ao mesmo tempo ela é a mesma em qualquer lugar do mundo. Não importa em que cidade você esteja, o underground é sempre igual em todos os lugares. Você sempre vai se sentir em casa.

IMG_20130915_244803_579.jpg
Undergound de Cuiabá

999834_621986674487478_958708115_n.jpeg
amizades sinceras e especiais, daquelas que a gente leva pela vida

E vamos combinar né, tem coisas que você nunca vai ver em show de pagode, de axé, de funk, de sertanejo. Porque existem coisas que só "os loucos" são capazes de sentir e de fazer. Não nos subestimem.

cadeira-de-rodas-show-iron-maiden-belo-horizonte-cadeirante-heavy-metal-rock-840x473.jpg

Metal forever

Authors get paid when people like you upvote their post.
If you enjoyed what you read here, create your account today and start earning FREE STEEM!
STEEMKR.COM IS SPONSORED BY
ADVERTISEMENT
Sort Order:  trending

Que legal, você também curte metal.😂🤘. Eu curto esse som desde os meus 7 anos de idade. Meu primeiro disco foi do Iron Maiden "Best of the beast", de 1996.

Nesse mesmo ano conheci 2 bandas que estavam se formando que foram Nightwish e Rhapsody, as duas bandas que mais sou fã, junto com o Angra dessa cena metal.

Acompanho e sou fã também do Metallica e do Kiss há vários anos. Nesse meio tempo formei uma banda na adolescência que não deu certo, eu era o vocalista.

Tive em certa época também um programa de rádio na rádio comunitária do meu bairro onde o tema era heavy metal. Eu levava toda semana uma banda nova para entrevistar e mostrar o seu trabalho.

·

Nossa, @jsantana que legal esse trampo de ajudar as bandas da cena local. Hoje em dia com a internet é mais fácil propagar o trabalho das bandas mas há um tempo atrás eram iniciativas como essas suas e de produtores de showzinhos que ajudavam a fortalecer as bandas né.

Percebi que você tem uma tendência ao melódico né. É um estilo muito bonito, com muita técnica. Acho um dos sons mais bem feitos depois da música clássica, pensando pelo lado musical mesmo. Mas sei lá porque eu prefiro um som mais sujo e grosseiro msm. Mas isso que é o bom do metal tbm né, tem para toooooodos os gostos. Eu mesma agora estou mais no doom e no post-metal. Acho que vai muito de como estamos nos sentindo, da fase que estamos vivendo... o fato é que sempre haverá um album que traduz nosso momento. Vida longa ao heavy metal! Abraços e obrigada por vir.

@aliny, Parabéns! O teu post foi votado e resteem pelo Projeto Camões!

camoes sign 2.gif

PROJETO CAMÕES -Língua Portuguesa no Steemit!

Aahh que máximo esse post! hahah Dá a maior nostalgia... Essas bandas mais brutais, como o Slayer, Pantera e o Motorhead que eu amo marcaram muito minha infância e adolescência. Depois fui pra um underground mais voltado pro gótico. Lembro que essa transição minha foi com o Coal Chamber que eu me apaixonei de cara! Mas hora ou outra acabo ouvindo do trash aos clássicos, quando bate a saudade! haha

·

Nossa, como eu esqueci do Pantera? É porque são tantas bandas boas que a gente não consegue lembrar de todas né. Eu nunca saquei muito de gothic metal, depois me indica umas bandas boas para ouvir. Faz um post. Rs

·
·

Muitaas mesmo, felizmente! haha... Ah pode deixar, logo eu faço o post! ;)

Caramba, começou bem hein ? South of Heaven é muito legal.
Meu início foi diferente. Eu estava começando a estudar teclado e fui comprar um disco do Jean Michel Jarre, e ... vi uma capa do Iron Maiden.
Resumo da ópera ? Comprei o disco do Iron Maiden ( era forte ali os idos dos 80 ) e viciei em som pesado e virei baterista hahahaha . Mas eu me achei mesmo quando cai no Slayer também, quando um amigo me mostrou o Reig in Blood. Eita disco lindo.
Ai .. ouvi Venom e ... um belo dia este mesmo fdp me mostrou o Napalm Death. Ali foi a mudança completa da minha vida. Me envolvi no underground ( aquelas fitas K7 trocadas via carta ) e foi dali para o pior hahahahaha

·

Hahahaha, as drogas foram ficando cada vez mais pesadas, sei como é. Compartilho do mesmo vício @ataliba. Falar em Napalm peguei um show deles em setembro aqui no interior de São Paulo, e o Shane jogou a palheta ninguém viu só eu. Pensa se não achei bom rsrs

·
·

Minha mãe evoluiu do meu filho é um drogado ouvindo música de drogado para. Menino, esta fase não vai passar não ?
Detalhe, tenho 44 anos hahahahaha

·
·
·

Hahahahaha, fala para ela que não existe ex-metaleiro, está no sangue. Minha mãe já se conformou. Mas meu filho não. Esses dias entrei no meu quarto e ele saiu detrás da cama com uma cara assustada. Perguntei o que tinha acontecido, e ele: é que eu me escondi para te assustar, mas nossa mãe, eu tô assustado com essa música que você tava ouvindo. E saiu do quarto o mais rápido possível. hahahahahaahah. Um dia ele vai me agradecer. Eu espero. Rs