[Obra Poética]: Cecília Meireles - Uma Voz Lírica Feminina Brasileira

2년 전

Importante Voz Lírica Feminina da Poesia Brasileira


O Projeto Lusofonia traz hoje um pouco sobre uma das poetisas mais famosas da literatura brasileira: Cecília Meireles. Para quem não a conhece, principalmente nossos amigos falantes de português de outros países, vale a pena lê-la e entender um pouco de sua vida e da nossa história por meio de suas palavras ricas em sentimentos.

Cecília nasceu no Rio de Janeiro em 1901 e, órfã de pai e mãe, fora criada pela avó materna. Isso não foi um problema para nossa querida escritora que transformou a dor da perda em algo sublime. Observe o que ela mesma disse, mais tarde, em um de seus escrito:

“Nasci aqui mesmo no Rio de Janeiro, três meses depois da morte de meu pai, e perdi minha mãe antes dos três anos. Essas e outras mortes ocorridas na família acarretaram muitos contratempos materiais, mas, ao mesmo tempo, me deram, desde pequenina, uma tal intimidade com a Morte que docemente aprendi essas relações entre o Efêmero e o Eterno. Minha infância de menina sozinha deu-me duas coisas que parecem negativas, e foram sempre positivas para mim: silêncio e solidão. Essa foi sempre a área de minha vida. Área mágica, onde os caleidoscópios inventaram fabulosos mundos geométricos, onde os relógios revelaram o segredo do seu mecanismo, e as bonecas o jogo do seu olhar. Mais tarde foi nessa área que os livros se abriram, e deixaram sair suas realidades e seus sonhos, em combinação tão harmoniosa que até hoje não compreendo como se possa estabelecer uma separação entre esses dois tempos de vida, unidos como os fios de um pano. (…) Vovó era uma criatura extraordinária. Extremamente religiosa, rezava todos os dias. E eu perguntava: ‘Por quem você está rezando?’ ‘Por todas as pessoas que sofrem’. Era assim. Rezava mesmo pelos desconhecidos. A dignidade, a elevação espiritual de minha avó influíram muito na minha maneira de sentir os seres e a vida.”

Cecilia-Meireles-1978-696x414.jpg

Retrato


Eu não tinha este rosto de hoje,
Assim calmo, assim triste, assim magro,
Nem estes olhos tão vazios,
Nem o lábio amargo.

Eu não tinha estas mãos sem força,
Tão paradas e frias e mortas;
Eu não tinha este coração
Que nem se mostra.

Eu não dei por esta mudança,
Tão simples, tão certa, tão fácil:
— Em que espelho ficou perdida
a minha face?

Cecília Meireles



Aprendi a não tentar convencer ninguém. O trabalho de convencer é uma falta de respeito, é uma tentativa de colonização do outro.
José Saramago

O Projeto Lusofonia agradece muito sua visita e leitura, porém, para que se possa crescer forte e, assim, fazer a comunidade crescer, ele precisa de seu apoio. Siga @lusofonia e mantenha-se informado sobre o mundo lusófono e os textos específicos de editores lidos e votados, vote em suas publicações e "resteeme-as" para que todos tomem conhecimento de nossa união!


Imagem: 1.

Authors get paid when people like you upvote their post.
If you enjoyed what you read here, create your account today and start earning FREE STEEM!
STEEMKR.COM IS SPONSORED BY
ADVERTISEMENT
Sort Order:  trending

Perfeito post

Parabéns, seu post foi votado e compartilhado pelo projeto Brazilian Power, cuja meta é incentivar a criação de mais conteúdo de qualidade, conectando a comunidade brasileira e melhorando as recompensas no Steemit. Obrigado!

footer-comentarios-2.jpg

·

Obrigado, amigo querido!